Modo noturno realmente é um alívio para os olhos?

Nos últimos anos, as clássicas telas brilhantes e de tons claros dos equipamentos eletrônicos têm dado lugar a fundos escuros e mais sóbrios com o modo noturno.

Também conhecida como tema ou modo escuro, a funcionalidade foi recentemente implementada no sistema iOS, da Apple, atraindo elogios de milhões de usuários.

O Android, do Google, também está aderindo à onda, com a nova versão do sistema mobile, lançada em setembro deste ano, tendo a função integrada nativamente.

Mas, além das mudanças estéticas, o que de fato motiva essa alteração e quais os benefícios que nós, usuários, podemos ter ativando o modo noturno?

Como funciona

Com o modo noturno ativado, a aparência gráfica fica com cores escuras e também pode ter o brilho reduzido, conforme configuração definida pelo usuário.

O objetivo principal é tornar a experiência de uso mais nítida e agradável, especialmente quando o dispositivo é usado em espaços com pouca iluminação, além de reduzir o consumo de bateria do dispositivo.

Alterações no sono

Durante o dia, podemos manter as configurações normais de brilho e cores da tela. Já durante a noite, o usuário pode usar o modo noturno para suavizar o tema, a emissão de luz azul e adaptar o aparelho à visão.

Essa mudança é indicada pois, durante o dia, nossos olhos estão acostumados com a quantidade de luz emitida pelo sol.

Chegando a noite, essa radiação é reduzida drasticamente, a visão se adapta à escuridão e começa a enviar sinais ao organismo de que a hora de descansar se aproxima.

Quando usamos o celular antes de dormir, por exemplo, a iluminação do aparelho continua impactando o corpo e diminui o envio desses sinais.

Essa diminuição prejudica o sono, reduz a produtividade e afeta a memória. Por essa razão, é recomendado evitar usar o celular antes de ir dormir.

Benefícios para os olhos

O uso do modo noturno faz jus ao nome: é indicado para o final do dia, quando não temos mais tanta luz natural.

Telas com o fundo predominantemente branco e com texto em preto proporcionam melhor leitura, independentemente do ambiente.

Isso acontece porque a cor branca faz com que a íris se contraia para permitir menor passagem de luz, o que torna o conteúdo da tela mais nítido.

Com um fundo escuro, o efeito é oposto, podendo diminuir a nitidez para quem tem astigmatismo, por exemplo.

A leitura de textos mais curtos no período da noite se torna mais confortável com o modo noturno, mas pode causar incômodo em leituras mais longas.

O recomendado é que os tons e o nível de brilho sejam adaptados à claridade do ambiente noturno, principalmente próximo à tela, a fim de evitar fadiga ocular.

Então, respondendo à pergunta do título deste post: o modo noturno realmente é um alívio para os olhos? Depende. Seu uso é indicado conforme o ambiente que você estiver.

O ideal é testar e configurar os níveis de brilho, adequando da melhor forma possível ao seu estilo de uso, sempre cuidando de qualquer incômodo na visão.

Sintomas como dor de cabeça, olhos secos, irritados ou lacrimejantes, visão embaçada ou dificuldades no sono podem ser indicativos de fadiga ocular e devem ser verificados imediatamente com um oftalmologista.

Nas Óticas Diniz você encontra óculos com lentes capazes de proteger e controlar a luz azul, neutralizando o impacto dos aparelhos eletrônicos nos olhos.

Para mais dicas e informações, fique de olho em nosso Facebook e Instagram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *