NÃO ENXERGA BEM DE LONGE? ISSO PODE SER MIOPIA

O personagem Mr. Magoo fez parte da infância de muita gente. Para quem não lembra, ou mesmo não conhece este desenho animado, é de um velhinho excêntrico que saiu de férias para um parque florestal com o seu sobrinho e acabaram se perdendo um do outro.

Um urso, que seguia os dois por gostar do som do banjo que o menino carregava, se apodera do instrumento e do seu chapéu. Então, o avô confunde o grande urso “vestido” como o seu sobrinho e, pronto, esta armada a confusão. O detalhe é que tudo isso aconteceu devido à miopia do Mr. Magoo.

Mas, para quem não sabe o que é a miopia, é o distúrbio refrativo mais comum em todo o mundo. A pessoa que tem este problema vê os objetos próximos com clareza e os mais distantes embaçados (como se estivessem sem foco).

E, assim como o personagem, você deve conhecer alguém que tenha este problema. De acordo com estimativas da Academia Americana de Oftalmologia (AAO), os míopes no Brasil, em 2020, serão de 27,7%.

Geralmente, ela se desenvolve entre os 8 e os 12 anos. Como os olhos estão em processo de desenvolvimento nesta fase, o seu formato pode mudar, podendo progredir até os 20 / 25 anos de idade. Ela apresenta diversas causas possíveis como o fator genético. Pais míopes têm uma chance maior de terem filhos com este problema.

Por outro lado, o seu surgimento em adultos pode estar associado ao diabetes ou à catarata.

Além da visão embaçada, também estão entre os seus sintomas a necessidade de apertar os olhos – ou fechar as pálpebras parcialmente – para ver melhor, sentir dores de cabeça (que são causadas pela fadiga ocular) e dificuldades ao fazer algumas tarefas, como dirigir veículos.

Para corrigi-la, é indicado o uso de Óculos de Grau ou de lentes de contato. Quem optar pelo primeiro, as lentes para correção são as chamadas negativas ou divergentes (côncavas) e quanto maior o grau, mais espessa elas serão nas bordas. Atualmente, no entanto, há lentes bem finas, que causam um efeito estético muito melhor do que os “óculos fundo de garrafa”, como eram conhecidos num passado não muito distante.

Já as lentes de contato podem ser rígidas ou gelatinosas. Mas, lembre-se: antes de escolher uma ou outra opção, consulte o seu oftalmologista. Somente ele poderá dizer qual será a melhor para o seu caso. No próximo post, falaremos sobre outro problema ocular: a hipermetropia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *