Heterocromia: pessoas com olhos de cores diferentes

A heterocromia é definida como uma anomalia ocular, que pode ser passada pela herança genética ou também adquirida por conta de doenças ou ferimentos. Ela é identificada por interferir na melanina da íris (tecido responsável por dar cor aos olhos) e alterar a tonalidade dos olhos. O resultado é que cada olho fica com uma cor diferente.

Mais comuns em cães e gatos, a heterocromia é uma condição rara entre os seres humanos – afetando seis a cada mil pessoas. Neste caso, é importante procurar um oftalmologista (link) para fazer alguns exames médicos para descartar outras doenças.

Tipos de heterocromia e como ela é definida

Existem três tipos de heterocromia:

  • Completa – um olho de uma cor

  • Setorial – duas cores diferentes no mesmo olho, sendo uma predominante

  • Central – dois ou mais “círculos” de cores diferentes na mesma íris

Toda espécie de combinação é possível (azul e verde, castanho e azul etc.). O que define a mudança de cor é o mesmo de quem tem os dois olhos com cores iguais: a quantidade de melanina na íris do globo ocular.

Essa quantidade é determinada por diferentes genes, como OCA2 e EYCL3, e eles são afetados quando a pessoa tem heterocromia genética.

Embora o elemento genético esteja relacionado a essa condição, a heterocromia pode ser causada por algumas doenças graves, como a neurofibromatose e a Síndrome de Waardenburg, que gera surdez e promove essa alteração. Lesões ou derrames são mais comuns e podem acarretar modificações na quantidade de melanina presente na retina, provocando a heterocromia.

Quer saber mais sobre assuntos que envolvem a saúde dos olhos? Acompanhe as publicações no blog das Óticas Diniz e as redes sociais, Instagram e Facebook.

Fontes

Hospital de Olhos de Sergipe

Hospital de Olhos Limongi

Super Interessante

Glamurama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *